Meia tonelada de óleo é retirada da praia de Itacimirim em Camaçari

A Marinha do Brasil (MB) informou nesta terça-feira (6), que as manchas de óleo encontradas em Itacimirim, na Orla de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), na última quinta-feira, são  compatíveis com o material que atingiu a costa brasileira em 2019. De acordo com a MB,  não se trata de um novo vazamento, mas sim da reincidência de segmentos oleosos que permaneceram submersos durante as ações pregressas de resposta. Da semana passada até então, já foram removidos 500 Kg do material.

Ainda de acordo com a Marinha, o reaparecimento do óleo se dá, possivelmente, por fatores naturais relacionados com a maré e o regime de ventos e correntes, que acabaram por gerar uma ressaca que revolveu sedimentos e possibilitou o ressurgimento dos fragmentos, que já se encontram em estado avançado de decomposição natural.


O órgão informou que em coordenação com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Prefeitura Municipal de Camaçari, foi realizada na última semana uma ação de remoção dos resíduos.  

Uma reunião ocorreu nesta terça-feira (6) com representantes da prefeitura de Camaçari, IBAMA, INEMA e ICMBio para definir estratégias da remoção de futuros resíduos que venham a aparecer. Ressalta-se que os órgãos ambientais e autoridades municipais permanecem monitorando, constantemente, a região afetada pelo ressurgimento e que as ações estão sendo realizadas de maneira criteriosa e cuidadosa, sob supervisão técnica do seu pessoal.