Vamos trabalhar muito para evitar 2º turno entre Lula e Bolsonaro, diz ACM Neto

Após a confirmação da fusão entre DEM e PSL em um novo partido, o União Brasil, o agora nomeado secretário-geral da legenda,  ACM Neto, afirmou que  um dos propósito da legenda, que ainda precisa ser homologada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é atuar para evitar que o segundo turno das eleições presidenciais de 2022 seja entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Vamos trabalhar muito para evitar que este cenário se coloque. O nascimento do partido tem esse objetivo, de dar uma mexida, uma sacudida nesse campo”, afirmou Neto, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, nesta quinta-feira, 7. 

Neto afirmou que a União Brasil tem três pré-candidatos para a corrida eleitoral do ano que vem: Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde (DEM); o apresentador José Luiz Datena (PSL); e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Questionado sobre a inclinação política do novo partido, ACM Neto buscou não defini-lo, resumindo-se a dizer que a legenda prega a defesa da democracia e as liberdades individuais e que será um partido “sem dono”.

Na entrevista, Neto declara ainda ter preferência pelo nome de Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, frente a João Doria, governador de São Paulo, nas prévias que o PSDB fará em novembro para decidir qual será o nome do partido a concorrer as eleições do ano que vem.