Lula diz não participar de atos pró-impeachment por “orientações médicas”

O ex-presidente Lula (PT) afirmou nesta quarta-feira, 20, que não participou de atos pelo impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido) por “orientações médicas”, para evitar aglomerações. Em agosto, Lula realizou uma viagem pelo Nordeste, com passagem pela Bahia – inclusive com atos na Assembleia Legislativa e na Senzala do Barro Preto.

“Primeiro, as pessoas estão convidando pelo PT. Tem muita gente convidando o povo para a rua. Não estou participando por responsabilidade e orientação dos meus companheiros médicos que trabalham comigo. Até para não dar razão às loucuras do atual presidente. No momento em que acharmos oportuno, não só vou participar como vou convocar os atos”, afirmou o ex-presidente, em entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM.

O petista tem sido acusado por adversários, como o pedetista Ciro Gomes, de não querer o impeachment de Bolsonaro, porque a presença do presidente na disputa poderia favorecê-lo.

Ao ser questionado sobre os planos eleitorais, Lula disse que participará da campanha “em qualquer circunstância” e projetou para fevereiro ou março a oficialização da provável candidatura. “A gente está passando muita fome, o desemprego está muito grande, os subempregados ultrapassam 33 milhões de pessoas. O momento é de discutir os problemas sociais, para depois discutir as eleições no momento adequado”, declarou o ex-presidente, que lidera as pesquisas.

*A Tarde