Em resposta à Anvisa, Butantan alega que forneceu todos os dados solicitados sobre CoronaVac

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informar que faltam documentos técnicos previstos na norma do órgão para triagem do uso emergencial do imunizante CoronaVac, o Instituto Butantan alegou que fornece todos os dados necessários para que o registro ocorra.

Em nota oficial, o Butantan diz que o fato da Anvisa solicitar mais informações, que estão sendo prontamente atendidas pelo Butantan, não afeta o prazo previsto para autorização de uso do imunobiológico.

O instituto também pontuou que os pedidos de novos documentos ou mais informações são absolutamente comuns em processos como esses.

Entenda o caso

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na última sexta-feira, 9, que a triagem de documentos remetidos pelo Instituto Butantan para o uso emergencial do imunizante CoronaVac foi parcialmente concluída.

A análise, entretanto, constatou a falta de documentos técnicos previstos na norma do órgão. “A submissão dos documentos técnicos previstos no Guia é condição necessária para viabilizar a avaliação, conclusão e a deliberação sobre a autorização de uso emergencial das vacinas”, informa a Anvisa em nota.

*A Tarde